Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

BRINCANDO COM AS VOGAIS Poema do "O"

BRINCANDO COM AS VOGAIS

Poema do "O"

Orarei, ó Omnipotente
Oração em oferta de obediência
Observa o que ofereço

Ósculos na ocasião
Ovelha obediente, obstante opressão,
Obfirmado, oposição do ordinário.

Ouça, ó Omnipresente
O objetivo da oração
Ofertar do oeste ao ocaso
Oblações em ode

Olha, ó Omnisciente
Do Oasis originário
Olente Ostentação
És o oleiro, onímodo
Maio/2015 Paulo Siuves

BRINCANDO COM AS VOGAIS Poema do "E"

BRINCANDO COM AS VOGAIS

Poema do "E"

Eu, enojado e enfadado,
Esconjuro o executivo
Estranhas encenações executadas
Enganam os encarregados de escolher

Eleito o escorreito
Este é execrado,
Exposto e expulso

Eleito um embaucador
Ele é exaltado,
Enaltecido e enobrecido

Exijo escrúpulos no escrutínio
Exclusão dos escamoteadores
Estelionatários e espertalhões

Exijo estabelecer eleições estremes
Evidentemente exatas e equânimes
E o estado equilibrado e equivalente

Maio/2015 Paulo Siuves

BRINCANDO COM AS VOGAIS Poema do "A"

BRINCANDO COM AS VOGAIS
Poema do "A"
Amanheci assim, apaixonado
Absorto, amando até à alma.
Amar-te assim ainda acalma
Aquieto-me à amante abraçado.
Amavioso alvorecer arfante
A ação abateu-me alegremente
Argúcia análoga a adolescente
Atrai-me, amásia anelante.
Anoiteço aflito, ansioso
Apressad'stou atrevidamente.
Arrebatado almejo ama-la.
Aproximar assim audacioso
Apertar aqui agradavelmente
Acordar alegre após ama-la.
[Maio/2015] Paulo Siuves